PQD – Chegada de Mãe Beth, Batuques no Estúdio e Orquestra dos Tambores de Aço

17265181192_3be0d410db_oNa sexta-feira (24) o evento Pajelança Quilombólica Digital, que acontece na Casa de Cultura Tainã, teve o prazer de receber a presença de Mãe Beth de Oxum, liderança do Coco de Umbigada, um Ponto de Cultura e Terreiro, direto de Olinda, no Recife. Ela ficará conosco até o fim do encontro, compartilhando seus saberes e experiências com os mais jovens.     17079203148_a6bbc78329_o

Logo depois dos abraços de boas vindas em Mãe Beth, todos se reuniram em volta de um bolo de chocolate gigante para comemorar o aniversário do ogan Oxaguian, filho de Mãe Beth. Batuques e cantos trouxeram ótimas energias para o início desse novo ciclo na vida do jovem ogan.

No cair da noite, a juventude que participa das oficinas se reuniu em volta de uma fogueira para um momento de recreação após um dia intenso de trabalho. Cada qual contou um pouquinho de si e sobre os locais onde vive, seu rituais e cultura. O bate-papo foi conduzido pelos tambores e alternado por canções de Jongo, que animaram os presentes enquanto a brasa lentamente ia se transformando em cinzas.

Hoje, logo cedinho, o Batuque de Umbigada de Rio Claro (SP) chegou para fazer uma batucada com os mestres de todo o Brasil e finalizar a gravação de seu CD no estúdio da casa. O Tambu, untado com cachaça e aquecido na fogueira para esticar o couro e atingir a afinação desejada, será tocado pelas mãos calejadas por uma história de resistência e tradição. “Trabalho e não tenho nada, só tenho calo na mão. O meu patrão ficou rico e nói fiquemo na mão”.

Paralelo a isso duas outras atividades acontecem na Casa de Cultura Tainã, sendo uma delas a finalização da oficina intensiva de Baobáxia, onIMG_8792de todas as Mucuas instaladas no decorrer dos dias serão sincronizadas para que haja uma troca de conteúdo entre todos os participantes, difundindo a cultura local de cada comunidade representada no encontro. A outra atividade veio de surpresa com a chegada de quatro grafiteiros, dois argentinos, Walter e Magali,  e dois amazonenses, Isy e Roberto Pires, parceiros da Casa Preta, um dos laços da Rede Mocambos. Eles juntaram algumas tintas e presentearam o espaço da Tainã com lindas pinturas em dois dos muros.

IMG_8801Após um dia intenso de atividades, todos se reuniram no salão da Tainã para uma jamIMG_8851 session coletiva. Estavam presentes representantes do Coco de Umbigada de Mãe Beth, direto de Olinda, o Mestre Baterista Malvino do Batuque de Rio Claro e a Orquestra dos tambores de aço, oriunda da própria casa. Também foram bem-vindos à improvisação todos aqueles que quiseram repicar um tambu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.